Supply Chain: entenda o que é e qual a sua importância no varejo

Supply Chain: entenda o que é e qual a sua importância no varejo

Supple Chain

O setor de logística estão alcançando patamares cada vez mais estratégicos dentro do mercado. A demanda por serviços de qualidade cada vez mais alta e a necessidade de se destacar da concorrência torna essencial entender como utilizar ferramentas como o supply chain.

 

De uma forma geral, uma boa gestão de supply chain evita erros que, por menores que sejam, acabam levando seu cliente para outra loja. 

 

Imagine se alguém chega em seu estabelecimento solicitando determinado produto, você diz que vai buscar e só então você percebe que está esgotado?

 

Com certeza procurar na concorrência vai ser a saída para esse cliente, sem falar que a sua loja deixará de ser a primeira opção na próxima compra.

 

No artigo de hoje, você entenderá de fato o que é supply chain e qual a importância de investir nessa gestão, visando garantir clientes e alcançando vantagens competitivas.

 

Acompanhe!

O que é supply chain?

Supply chain é um termo que significa “cadeia de suprimentos”.

 

Consiste em nada mais do que um processo complexo que tem início na produção da matéria prima e termina na entrega do produto ao consumidor final. 

 

Ou seja, abrange todos os processos logísticos da cadeia de produção.

 

Mas que processos estão envolvidos no supply chain, afinal? 

 

Podemos citar as atividades de compra dos insumos ou produtos, transporte, armazenamento, transformação, embalagem, gerenciamento interno, venda e distribuição aos clientes. 

 

Devemos acrescentar a todas essas etapas a infraestrutura física e de processos necessária para dar suporte às operações, além de atividades adicionais como atendimento ao consumidor, controle financeiro e marketing, por exemplo.

 

Podemos notar que a complexidade do supply chain está na quantidade de processos que envolve, além das interações entre empresas e profissionais como produtores, fornecedores, distribuidores, lojistas e, como veremos, dos profissionais de TI.

Supply chain e logística não são a mesma coisa!

É isso mesmo! Muitas pessoas, inclusive profissionais, tendem a se confundir, considerando que logística e supply chain são a mesma coisa. Mas não são!

 

É verdade que a relação entre os dois conceitos é muito próxima e tão dependente um do outro que fica difícil colocar um limite entre logística e supply chain, até porque são práticas estratégicas que nasceram juntas, ainda que supply chain só tenha ganhado esse nome mais recentemente.

 

Simplificando a diferença entre os dois processos, podemos dizer que a logística fica por conta da movimentação de produtos e de toda a documentação necessária a esses processos. 

 

Isso quer dizer que além de realizar o transporte, há toda uma análise estratégica que busca encontrar os meios mais eficientes para cada produto, fazendo, por exemplo, a gestão de risco, controle das cargas e claro, o monitoramento de todo o processo através do uso de tecnologias.

 

Tudo isso para garantir que os produtos cheguem ao destino em perfeito estado e no prazo estipulado.

 

Podemos resumir as atividades operacionais da logística nos seguintes tópicos:

 

  • monitoramento dos processos;
  • gestão de risco;
  • análise estratégica;
  • controle de carga e descarga;
  • alocação de produtos no armazém;
  • separação e expedição;
  • gestão dos níveis de estoque;
  • movimentação;.

 

Já o supply chain oferece uma visão mais ampla do que o planejamento e suporte de transporte de mercadorias. O supply chain planeja todo o fluxo e ainda trata da relação do negócio com seus clientes.

 

Podemos dizer então que o supply chain se relaciona diretamente com as instituições envolvidas no processo, dos quais podemos citar:

 

  • clientes;
  • varejistas;
  • fabricantes;
  • fornecedores;
  • distribuidores;
  • transportadoras ;
  • centros de distribuição.

 

Podemos concluir, assim, que os dois conceitos não são a mesma coisa, mas que a logística de fato tem uma participação fundamental dentro da gestão de supply chain

 

Afinal, o objetivo principal é que produtos cheguem no prazo, nas condições, na quantidade e no local pré-determinado. 

 

Com falhas na logística, toda a gestão de supply chain estará comprometida diretamente. São processos que andam de mãos dadas.

Como a gestão de supply chain é aplicada nas empresas?

Até aqui já vimos que a gestão de supply chain é importante e necessária para garantir a organização de todos os processos que acontecem até a chegada do produto final ao cliente.

 

Mas como ela se aplica dentro das empresas?

 

O lojista precisa conhecer muito bem o produto que está vendendo para conseguir vender e ter um bom retorno das vendas.

 

Para tanto, ter um conhecimento completo em relação ao ciclo de vida da mercadoria é fundamental. Algumas perguntas podem auxiliar nesse processo:

 

  • quais são os períodos do ano em que o item tem maior procura? 
  • onde está o fornecedor e quais são seus prazos? 
  • o produto em questão é de pronta-entrega ou sob encomenda? 

 

Fazer esse tipo de controle é um primeiro passo para garantir a disponibilidade do produto.

 

A gestão de supply chain dentro da empresa será responsável por cuidar dos processos relacionados a compra de mercadorias, armazenagem, ao controle de pedidos de clientes, entrega e devoluções e trocas, se for o caso.

 

O lojista representa o elo da cadeia de supply chain, e está diretamente envolvido com o consumidor. Assim, o objetivo maior é analisar o processo constantemente, buscando maneiras de aprimorar.

 

A gestão de supply chain pode variar de acordo com o produto, o molde de negócios e até com o porte da empresa

 

Mas podemos dizer que em geral o processo se dá em torno deste padrão:

 

  1. Planejamento de compras baseado na previsão de oferta e demanda;
  2. Homologação e cotação de fornecedores de produtos e/ou matéria-prima;
  3. Fabricação do produto;
  4. Estocagem do produto;
  5. Venda e entrega;
  6. Devolução e troca do produto (se for o caso);
  7. Monitoramento e recolhimento de avaliações ou feedbacks através dos canais de atendimento, buscando aprimorar o processo.

 

Esse processo, quando realizado com comprometimento e organização, garante benefícios muito expressivos para todas as partes envolvidas. Isso é o que veremos a seguir.

Benefícios da gestão de supply chain

Uma boa gestão de supply chain dá trabalho sim. 

 

Mas através do uso de ferramentas de gestão integrada e do compartilhamento de informações relevantes, os resultados satisfatórios serão alcançados.

 

Vejamos alguns dos benefícios mais valiosos que a excelência em gestão de supply chain traz:

Redução de estoque

Manter muita coisa no estoque é uma das premissas para ter mais custos relacionados a mão de obra, compra de equipamentos e máquinas, além da manutenção da estrutura do prédio.

 

Ou seja, é uma cilada.

 

Através de um gerenciamento preciso da cadeia de suprimentos, o fornecedor poderá gerenciar melhor a quantidade de itens armazenados, trabalhando para que nunca falte nada e o abastecimento seja feito conforme a necessidade.

 

Essa prática é possibilitada com o compartilhamento de informações e controle periódico do consumo de itens.

 

Da mesma forma, a gestão correta auxilia empresas que têm como estratégia a grande quantidade de alguns produtos armazenados por conta de estratégias específicas, como materiais importados que podem ter muita oscilação de preço, por exemplo.

Menos fornecedores

Diminuir o número de fornecedores é sim uma atitude importante.

 

O motivo? Quanto mais participantes fizerem parte da cadeia de abastecimento, serão necessários recursos ainda maiores para conseguir gerenciar tudo.

 

As chances de perder o controle são maiores, por isso limitar a quantidade facilita e confere mais precisão ao processo, acompanhando tudo de perto e tornando possível a avaliação do desempenho de cada colaborador.

Qualidade dos produtos e serviços

A qualidade é um fator decisivo de compra. Os clientes ficam cada vez mais críticos e exigentes com as marcas.

 

Portanto, acompanhar de perto a garantia da qualidade dos produtos e serviços que são oferecidos é obrigatório. Isso é claro está além das atribuições de uma empresa unicamente, é preciso lembrar que também envolve a participação e comprometimento de fornecedores e transportadores.

 

Ao estabelecer requisitos de qualidade para atribuir parceria a uma empresa, a gestão de supply chain consegue tornar ainda mais ampla a tarefa de garantir a qualidade.

Rápida resolução de problemas

Ter flexibilidade e agilidade para fornecer soluções rápidas e precisas é um dos benefícios mais importantes da gestão de supply chain.

 

O setor de transporte, por exemplo, é reconhecido com uma área de alto risco para as empresas que trabalham com ele. 

 

Por meio de um gerenciamento integrado é possível mapear os processos e os riscos, facilitando a tomada de decisão que busque resolver cada um deles com auxílio de uma equipe devidamente qualificada.

Redução de custos operacionais

A gestão de supply chain facilita o planejamento estratégico de todos os envolvidos e promove a redução de custos operacionais.

 

A otimização dos processos reduz desperdícios e elimina tarefas desnecessárias ou redundantes que de nada aprimoram o resultado final. 

 

Esses processos ao serem excluídos da cadeia de suprimentos também cortam gastos que não eram necessários e impactavam nos caixas.

A importância dos serviços de TI

Como vimos, todos os benefícios acima são fruto de uma visão sistêmica baseada em rigoroso controle.

 

Mas o grande desafio é: como integrar todos os gestores dentro dessa visão sistêmica única?

 

É neste ponto que a tecnologia da informação é tão importante, pois ela atua como a principal ferramenta que permite a integração de todo o sistema em um mesmo objetivo.

 

Isso significa reunir relatórios e um mesmo local, permitindo acesso de dados para gestores de logística, marketing, vendas, entre outros.

 

Será de responsabilidade da TI, dessa forma, cuidar muito mais do que do fornecimento eficiente de software, hardware e suporte técnico à empresa.

 

O setor de TI é responsável pela integração eficaz entre os diversos atores envolvidos na supply chain.

 

Para que você entenda melhor, separamos a seguir alguns exemplos práticos de como a TI pode de fato otimizar sua gestão de supply chain. Confira:

Redução de desperdícios

 

No sentido de diminuir os gastos desnecessários, a TI trabalha com Big Data e analytics

 

Isso significa que ela usa os dados gerados pela empresa para avaliar a utilização de recursos e identificar falhas. 

 

As informações contidas no Big Data são a chave para o crescimento da empresa, pois permitem que oportunidades sejam identificadas através de padrões.

Processos automatizados

 

Funções muito repetitivas, ao serem automatizadas, permitem a realocação de profissionais para setores que realmente exijam suas habilidades, proporcionando uma visão mais estratégica para os processos.

 

Essa melhoria está diretamente relacionada com o melhor aproveitamento dos colaboradores e sua produtividade dentro do local de trabalho.

Monitoramento em tempo real

Como vimos durante o texto, monitorar é essencial para estar em constante aperfeiçoamento e evitar falhas.

 

A TI oferece diversas ferramentas que podem cuidar disso, acompanhando os processos em tempo real e oferecendo mais precisão a toda a gestão de supply chain

 

Isso significa poder acompanhar as compras dos clientes e também a evolução da produção, transporte e entrega.

 

Um exemplo que se torna cada vez mais popular na TI do mundo corporativo é o da computação em nuvem, que torna possível disponibilizar dados para toda a equipe, mantendo-os atualizados e favorecendo a produtividade.

Elaboração e implantação de PDTI

 

PDTI é a sigla para Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Ele é o planejamento que organiza detalhadamente todas as operações relacionadas a software, hardware, sistemas de informação e infraestrutura de uma empresa.

 

Considerando a aplicação no supply chain, o plano é ainda mais importante, pois define as diretrizes que serão levadas em consideração para avaliar os sistemas de cada fornecedor.

 

É um trabalho de governança de TI que busca analisar e avaliar os serviços que serão adquiridos, fornecendo a melhor escolha de marca para um software ou quais os requisitos de segurança que as empresas parceiras deverão seguir.

 

Assim, é aconselhável sempre incluir o departamento de TI na elaboração de contratos, tendo a orientação necessária para o cumprimento de atributos tecnológicos importantes.

 

De fato, a tecnologia da informação é uma grande aliada aos princípios da supply chain, e não é por coincidência que essas duas estratégias juntas têm representado um papel importante nas organizações, considerando todo o seu potencial de reduzir custos e aprimorar ainda mais a experiência do consumidor.

Gostou de conhecer como funciona e quais os benefícios de TI na gestão de supply chain? Confira também as tecnologias revolucionárias para PMEs clicando aqui!

Compartilhe no:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *