Varejo 4.0: por que terceirizar serviços de TI nessa nova era

Varejo 4.0: por que terceirizar serviços de TI nessa nova era

Varejo 4.0

O mundo passa por uma imensa mudança estrutural devido à evolução tecnológica, e no mercado de vendas mundial isso não é diferente: vivemos a era do varejo 4.0.

Tanto quem está começando nesse mercado quanto aqueles que já estão nele precisam se informar profundamente para conseguir se adaptar ao que o varejo 4.0 exige das empresas e de seus gestores.

E não pense que há como ignorar tudo isso!

A soma de um cenário econômico cada vez mais desafiador e dos avanços da tecnologia certamente não criou um terreno fácil de ser explorado.

Esse processo tem sido responsável por toda a mudança na forma de comunicar, vender e consumir.

Ele criou um consumidor cada vez mais criterioso com suas compras, sendo necessário adotar outras estratégias para conquistá-lo, uma vez que ele está menos impulsivo.

Essa nova era do cenário do varejo 4.0 coloca lado a lado as tendências da internet e a nossa realidade para aprimorar a experiência de compra e o relacionamento com o cliente. 

A chave para conseguir acompanhar tudo isso e satisfazer o cliente é remodelar as suas estratégias de venda.

Neste artigo, você saberá mais sobre o conceito de varejo 4.0, sua importância no setor de vendas mundial e qual o papel do setor de TI para uma boa adaptação dentro desse mercado.

Continue lendo!

O que é varejo 4.0?

Hoje em dia, é muito raro encontrar alguém que nunca tenha feito uma compra pela internet.

Você mesmo, quantas vezes já não deu preferência ao conforto de comprar sem sair de casa? Ou, ao menos, passou horas em sites de compra para comparar os preços de um produto que você já pensa em adquirir há algum tempo?

Acredite, não é só você!

A compra pela internet é uma tendência inegável. Praticidade, conforto, menos estresse com filas, tudo isso cria um perfil de comprador que tem tendência a crescer.

O novo modelo proposto pela era do varejo 4.0 chegou para modificar a proposta de valor de negócio, estabelecendo diferenciais competitivos através do uso de tecnologias que buscam compreender mais a fundo o público que atende.

E isso não é por acaso. 

Sendo capaz de entender com mais precisão os hábitos dos clientes, você também é capaz de identificar qual o meio que eles usam para fazer compras.

O que se sabe com segurança é que, nos dias atuais, os clientes não estão em busca apenas de qualidade; eles querem interagir ao máximo.

Mas o que isso quer dizer no contexto de varejo 4.0?

Quando falamos de interação, estamos dizendo que o consumidor quer aprender, ver, tocar, sentir, experimentar, escolher, divertir-se, comparar, ser reconhecido, levar o produto, avaliar, criticar, curtir, elogiar e recomendar. 

Ele quer de fato criar uma relação com o que está comprando e, claro, espera uma proximidade com a empresa de quem está comprando.

Os mundos real e tecnológico estão se cruzando no varejo 4.0 no sentido da criação de vínculos emocionais e sociais. 

A nova ideia de relacionamento entre empresa é cliente é um auxílio através do meio digital, com possivelmente uma loja física que aprimore essa experiência.

Ou seja, muito ao contrário do que algumas pessoas sugerem, como o fim das lojas físicas. Elas continuarão como peça fundamental do varejo, transformando-se em ambiente para tornar a experiência de compra ainda melhor, mesclando soluções digitais com o mundo real.

O acesso a canais online através das tecnologias é o que facilitará a tomada de decisão do cliente, que quer se conectar e se identificar com o que está comprando.

O varejo 4.0 é um processo que une os conceitos já citados com as tendências mais fortes da atualidade, como: Internet das Coisas, realidade virtual e aumentada, Big Data, Inteligência Artificial, dispositivos mobile e aplicativos de engajamento e aproximação com o consumidor.

Uma situação comum do varejo 4.0 é o comprador que inicia sua compra na loja online e a conclui na loja física, ou vice-versa.

Por exemplo, o cliente vai até a loja física, confere os preços, usa o celular para tirar fotos e fazer anotações, mas conclui a compra através do site.

Outra situação recorrente é quando o cliente quer aproveitar um desconto promocional da loja online, porém não quer ter que esperar a chegada do produto ou ainda ter que arcar com custos de frete, portanto, ao finalizar a compra, ele opta pela opção de retirada na loja física mais próxima.

Este é um exemplo de consumidor omnichannel, conceito que vamos entender em mais detalhes a seguir.

O que é o consumidor omnichannel?

O consumidor omnichannel é o cliente característico da era do varejo 4.0. 

Ele é o consumidor que sente a necessidade de interagir com diversas interfaces a todo momento enquanto se relaciona com diferentes marcas das quais gosta.

Esse perfil, é claro, nem sempre foi assim.

Não muito tempo atrás, o e-mail e o call center eram as principais ferramentas de interação entre as empresas e seus clientes. Sabemos o quanto essa relação era distante e nem sempre agradável.

Por outro lado, hoje já foram feitas mudanças estruturais nessas formas de relacionamento com o cliente, que inclusive tiveram que começar a dividir espaço com outros meios mais eficientes.

E não é só o crescimento das redes sociais que auxilia, o varejo 4.0 dispõe de aplicativos, assistentes virtuais inteligentes, mensagens instantâneas, SAC 2.0, entre outras funcionalidades que buscam atender ainda melhor e de forma mais diversificada possível a clientela. 

Entender esse perfil de cliente é muito importante no varejo 4.0.

Quando o empresário sabe empregar corretamente uma estratégia de relacionamento baseada no conceito omnichannel, pode conquistar bons resultados para a empresa e o aumento da retenção de clientes. 

Afinal, cliente bem atendido sempre volta, certo?

E, para que ele seja bem atendido e volte, sua experiência de compra precisa ser completamente satisfatória e personalizada.

Mas você deve estar se perguntando como assimilar tanta informação e aplicar corretamente essas ideias para conseguir o sucesso do seu empreendimento no varejo. 

Realmente não é tarefa fácil, mas o investimento certo pode proporcionar tudo isso com muito mais facilidade para você que não entende tanto de tecnologia e quer conquistar seu lugar em tempos de varejo 4.0.

Isso pode ser feito investindo no seu departamento de TI, como você descobrirá ao longo deste artigo.

A importância dos serviços de TI

O grande desafio do varejo 4.0 é, sem dúvida, saber como utilizar as tecnologias a seu favor e como criar estratégias que as utilizem de forma conjunta com o bom atendimento.

Como vimos, o varejo 4.0 está coberto de tecnologias interativas que dizem muito sobre os clientes e auxiliam a entender o que buscam no momento de compra.

Mas como um empresário que não sabe como lidar com todas essas ferramentas poderá alcançar os resultados desejados?

E, quando falamos sobre a dificuldade em lidar com as ferramentas tecnológicas, não é sobre não entendê-las ou não valorizar o acesso a elas, pois isso é algo que naturalmente vai acontecer e nem será tão caro.

O problema é que muitas pessoas ainda temem o que o varejo 4.0 representa. Temem grandes mudanças, o ambiente desconhecido dessa fase de transformação.

Essa é uma reação natural do ser humano diante de mudanças de cenário. Por isso é preciso contar com o auxílio de profissionais treinados.

O time de TI é um importante personagem dessa história de sucesso no varejo 4.0.

Investir nesse departamento garante mais do que suporte, será uma verdadeira base estratégica para competir com as outras empresas.

Vejamos um exemplo disso ainda na situação que citamos anteriormente, do cliente que usa a opção de retirada em loja física para o produto comprado na loja online.

Podemos dizer que toda sua jornada de compra está cercada de tecnologia: mobile marketing, QR Code e e-commerce, totalmente aliados com o estoque da loja para informar ao cliente onde há o produto para que ele possa fazer a retirada.

Para aplicar o varejo 4.0 no seu empreendimento, existem algumas ferramentas que auxiliam nesse processo de integração.

É importante ter em mente que a coleta de dados sobre seus clientes deve ser transparente e nada forçada, somada a um ambiente sempre receptivo e agradável, com uma postura de atendimento que sempre reforce ao consumidor os valores da marca.

Vejamos dois exemplos práticos nos quais a TI pode auxiliar na coleta de dados do cliente em sua loja física adaptada ao varejo 4.0.

Wi-Fi

O Wi-Fi chegou com o varejo 4.0 como uma ótima forma de conseguir coletar dados de clientes. 

O estabelecimento pode oferecer essa comodidade de forma gratuita em troca de um cadastro simples por parte do cliente e que forneçam formas de fidelizar o cliente.

Isso pode ser feito através da informação de contato, em que a empresa pode construir uma relação de fidelização, enviando ofertas e promoções para esse cliente.

Essa é uma forma transparente de conseguir os dados para fazer a divulgação da marca.

É importante que o cliente também tenha a opção de cancelar as mensagens, para não acabar tendo o resultado contrário, um consumidor irritado.

Beacons

Os chamados Beacons são aparelhos de proximidade com valor acessível que emitem informações para os smartphones cadastrados.

Imagine a seguinte situação: você está passando por uma loja e rapidamente recebe em seu celular as informações de preços e ofertas disponíveis no momento. Prático, não?

Isso atrai a atenção de vários clientes que, muitas vezes, por falta de tempo, desistem de entrar na loja para conferir preços.

O melhor de tudo é que, através deste cadastro, a loja tem acesso a todas as ações do cliente no estabelecimento, como qual produto ele comprou e quanto tempo passou ali.

A principal vantagem dos aparelhos Beacons é que eles podem ser instalados em paredes, produtos ou vitrines, sem a necessidade de conexão com a internet, pois utilizam o Bluetooth ou GPS para enviar as informações.

Por que terceirizar serviços de TI?

Acompanhando nosso texto até aqui, você provavelmente já percebeu que a área de TI é muito importante para concretizar um projeto estratégico de adaptação ao varejo 4.0.

Muito mais do que apenas auxiliar, a TI é protagonista não só na eficácia desses procedimentos, mas também nas questões de segurança que envolvem essa mudança.

Falamos, por exemplo, da necessidade de coletar dados de clientes para aplicar a aproximação necessária para cativar esse consumidor.

Mas sabemos muito bem que o mundo atual vive coberto de preocupações de segurança de dados, principalmente por conta dos ataques cibernéticos e criminosos que usam dados disponibilizados a terceiros para se passarem por outra pessoa.

A TI trabalha constantemente para aprimorar as funções ao mesmo tempo em que cria uma barreira de proteção em torno delas. 

E sim, todo esse processo envolve muito cuidado e disciplina, unidos em dedicação total em prol da entrega de um serviço de qualidade.

Tendo em vista que os empresários estão cada vez mais sobrecarregados com tantas demandas, muitas vezes essas medidas de segurança podem acabar passando despercebidas.

É por esse e outros motivos que a terceirização de TI se mostra como o modelo mais adequado para evitar a sobrecarga de demandas e garantir a qualidade máxima em qualquer serviço.

A terceirização nada mais é do que contratar uma empresa especializada em TI para atuar em função da empresa contratante.

A seguir, vejamos algumas das principais características e dos benefícios que fazem desse modelo uma tendência para o mercado de varejo 4.0.

Excelente custo-benefício

A terceirização de TI garante que o empresário não precise se preocupar com especificidades deste setor, ainda que tenha à sua disposição uma equipe especializada, treinada e capacitada para atuar atendendo às demandas do seu negócio.

Além disso, não será preciso gastar com manutenção, troca de equipamentos e outras questões técnicas, pois tudo isso será de responsabilidade da empresa contratada.

Maior produtividade

A produtividade é um dos desafios das empresas.

Com uma equipe terceirizada, as tarefas ficarão mais bem divididas e as equipes poderão focar aquilo que realmente sabem fazer, sem ficar desperdiçando tempo com questões que não são do seu domínio.

Consequentemente, o trabalho poderá fluir com mais qualidade e rapidez.

Velocidade no atendimento

Ter uma equipe de TI pronta para qualquer chamado faz toda a diferença no mercado competitivo.

Site fora do ar, bugs no aplicativo, falta de conexão com a internet, tudo isso pode desacreditar o cliente com uma rapidez inacreditável.

Mostrar que a qualidade do atendimento e do serviço são prioridades para a empresa é uma excelente forma de impressionar o consumidor e garantir a fidelidade da parceria.

Gostou de saber mais sobre a nova era do mercado de vendas, o varejo 4.0? Então saiba aqui um pouco mais sobre como garantir a segurança do seu empreendimento nesse meio.

 

Compartilhe no:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *