10 tendências de TI para 2018 que vão ajudar o seu negócio

Tendências de TI para 2018

O que podemos esperar do mercado de TI para o ano de 2018? Com a tecnologia tão em alta ultimamente, é bom ficar ligado nas tendências para conseguir inovar nos produtos, nos processos e no time de TI.

Esse é o momento ideal para conhecer as tendências de TI que podem ajudar o seu negócio em 2018.

Trouxemos uma lista com as 10 tendências de TI que ganharão destaque em 2018, de acordo com o Gartner, uma das mais influentes empresas de consultoria em TI do mundo.

Tendências de TI x Gestores de TI

Segundo estudo do Gartner, sobre o trabalho dos gestores de tecnologia na atualidade, está claro que o papel dos profissionais de TI está mudando.

Isso acontece por que a digitalização e inovação do mercado passou a valorizar mais a informação obtida através da tecnologia, do que a tecnologia em si.

Nesse cenário, o papel dos gestores vai muito além da realização de entregas. Eles tornaram-se executivos de negócios, com papel crucial na geração de receita, utilizando a exploração de dados.

Banner terceirzação

#1 Inteligência Artificial (IA)

O desenvolvimento de sistema autônomos capazes de se atualizar, adaptar e aprender sozinhos movimentará o mercado de fabricantes de tecnologia. O que deve perdurar até 2020.

A utilização de IA poderá ser aplicada no processo de tomada de decisões, renovação de processos e modelos de negócio. Além disso, ela será peça chave para inovar o relacionamento com clientes.

Até 2025 as empresas devem ser recompensadas por suas iniciativas digitais.

As técnicas de IA estão evoluindo rapidamente e as organizações vão precisar investir significativamente em competências, processos e ferramentas para poder explorar essas técnicas com sucesso e construir sistemas melhorados de IA”, afirma David Cearley, atual vice-presidente do Gartner.

#2 Aplicações e análises inteligentes

Como consequência do avanço da inteligência artificial, ao longo dos próximos anos, ela será incorporada definitivamente pelo mercado de tecnologia.

Aplicações, programas, softwares e serviços devem seguir essa, que já se destaca como uma das mais fortes tendências de TI.

A utilização da inteligência artificial não será implantada com o objetivo exclusivo de substituir a atividade humana. Ela poderá ser utilizada para aumentar a capacidade de trabalho das pessoas, auxiliando-as na tomada de decisões mais precisas.

Os sistemas integrados de gestão empresarial (ERP), são um exemplo de software que podem encontrar muitas vantagens ao trabalhar com o apoio da Inteligência artificial.

Para isso, será preciso que os gestores de TI estejam preparados, para saber como utilizar esse recurso da melhor maneira.

#3 Objetos Inteligentes

O acesso aos objetos inteligentes é mais uma das tendências de TI que se firmarão nos próximos anos. Imagine poder contar com itens que vão muito além de suas funções básicas?

Geladeiras que não só conservam os alimentos, mas que também lhe ajudarão a fazer sua lista de compras do mercado. Carros com direção automática, capazes de interagir com o motorista.

Esse tipo de recurso já é uma realidade. Por exemplo, carros autônomos são utilizados em ambientes controlados, pela agricultura e mineração.

Porém, daqui em diante, eles devem se popularizar. Claro que, mais uma vez, com o apoio da inteligência artificial.

#4 Gêmeo Digital

Entre as tendências de TI aqui citadas, essa é uma que poderá ser de grande valor para as indústrias.

Com prazos cada vez mais enxutos e consumidores bastante exigentes, as linhas de produção precisam ser cada vez mais ágeis. Em contraponto, é preciso investir em constantes melhorias, sem interromper os processos.

Os Gêmeos Digitais são cópias digitais exatas de cada etapa de um processo de produção. Eles podem ser montados através de sofisticado programas, feitos para essa finalidade.

Nesse ambiente, é possível testar alterações e mudanças nos procedimentos, conferindo como seriam os seus resultados no mundo real.

Esse recurso está começando a ser implantado, com a finalidade de ajudar a indústria a melhorar sua metodologia de produção.

O próximo passo é que os Gêmeos Digitais comecem a ser ajustados, para gerar previsões cada vez mais qualificadas para as empresas.

#5 Edge Computing

Na medida que os objetos inteligentes e a internet das coisas avançam, um fenômeno curioso pode se manifestar.

Hoje usamos a tecnologia em nuvem para quase tudo. Porém, o uso de objetos inteligentes pode fazer com que coleta, processamento e troca de dados passe a ocorrer próximo a fonte. Daí o termo Edge Computing, que pode ser interpretado como computação de ponta.

Para facilitar a compreensão desse recurso da nossa lista de tendências de TI, vamos pensar no exemplo de um carro autônomo.

O automóvel será equipado com uma CPU robusta, de alto desempenho, onde acontecerá todo o processamento de dados.

Isso acontece por que, ao depender dos serviços em nuvem, eles podem ter que lidar com gargalos e instabilidade de conexão e rede.

Basicamente, para que os objetos inteligentes funcionem de maneira estável, será preciso que o processamento de informações funcione diretamente neles.

Contudo, de acordo com os especialistas do Gartner, a computação em nuvem e a computação de ponta não são rivais. Elas são complementares uma para a outra.

#6 Plataformas de conversação

Esse recurso mudará definitivamente a maneira como os usuários interagem com o mundo digital.

Ao receber algum comando, as plataformas de conversação serão capazes de sugerir conteúdos ou informações complementares. Tudo com a finalidade de facilitar e melhorar a interação do usuário com o mundo digital.

Nesse caso, a responsabilidade de traduzir as intenções de uma mensagem passará do usuário, para o computador.

#7 Experiência imersiva

Outra das tendências de TI, que deve despontar nos próximos anos, são as experiências imersivas para os usuários.

Atualmente, elas acontecem através de realidade virtual (RV) ou realidade aumentada (RA). Essa interação também pode ser mista.

O que envolverá os equipamentos utilizados na realidade virtual (capacetes e óculos) e as aplicações da realidade aumentada.

Infelizmente, o mercado de RV e RA está em estágio inicial e ainda é bastante frágil. Mas, esse cenário já está em mudança e podemos aguardar muitas novidades.

Contudo, a recomendação do Gartner é que as empresas estudem a aplicação desses recursos na vida real, para obter chances de ganhos financeiros.

É preciso pensar em como essa imersão podem melhorar os processos e tornar os colaboradores mais produtivos.

#8 Blockchain

Essa é uma das tendências de TI que deve evoluir significativamente nos próximos dois ou três anos, afirma o Gartner.

Bem, você já deve ter ouvido falar nos Bitcoins, certo? Essa moeda digital tem despertado o interesse de todo o mundo.

Ao invés de ter o seu valor definido pelo governo, como é o caso das moedas de cada país, o valor do Bitcoin é definido através de um algoritmo de código aberto.

Pois bem, toda a tecnologia por trás dos Bitcoins é chamada de Blockchain.

O Blockchain pode ser definido como um sistema que registra todas as transações realizadas com criptomoedas.

O registro gerado pelos Blockchains garante que as transações, feitas com Bitcoins, estão seguras, contra a ameaça dos hackers.

Segundo o Gartner, a evolução dos Blockchains será responsável por gerar negócios disruptivos e inovadores.

#9 Foco nos eventos

Em um mundo cada vez mais digital, é preciso que as empresas saibam como explorar todos os novos momentos. Cada evento sinaliza uma mudança, mesmo que seja uma simples conclusão de ordem de compra.

A ideia é que, através das tendências de TI listadas, os eventos sejam registrados e analisados.

Desta maneira será possível detectar problemas e oportunidades de melhorias. Inteligência Artificial, Objetos Inteligentes, Blockchain, entre outros recursos, serão úteis nesse processo.

#10 Adaptação Contínua do Risco e da Confiança

2017 foi o ano dos sequestros de dados. Os hackers estão cada vez mais audaciosos, utilizando vírus complexos e sofisticados, para realizar ataques virtuais direcionados.

Para se proteger as empresas, nesse ambiente extremamente hostil, é recomendado que os gestores de TI invistam em uma análise contínua de risco e confiança.

Desta maneira, será possível tomar decisões em tempo real, com base em informações concretas. Esse método é conhecido como CARTA, sigla para Continuous Adaptive Risk and Trust Assessment.

Para que esse processo funcione com sucesso, é preciso que as equipes de TI trabalhem de maneira totalmente integrada.

Banner terceirzação

Para saber mais sobre práticas de TI para adotar na sua empresa ou equipe, leia o nosso artigo sobre as práticas aplicadas pelas grandes empresas.

Não deixe de baixar nossos materiais gratuitos para aprender ainda mais!

 

Fontes: CIO, ComputerWorld, Endeavor, Exame e Olhar Digital.