O que é Big Data e como utilizar as ferramentas de análise a seu favor

O que é Big Data e como utilizar as ferramentas de análise a seu favor

Big Data

Big Data é um conceito que, infelizmente, muitas pessoas não entendem e, por isso, não conseguem usá-lo a favor da gestão de uma empresa.

Esse termo está totalmente ligado às inovações tecnológicas e à competitividade das empresas, sendo, sem dúvida, um grande aliado para o sucesso dos negócios.

Se você também ainda não está familiarizado com esse conceito, mas quer sair dessa estatística agora e entender, de fato, o que é Big Data, essa é sua chance. 

Preparamos um artigo que resume esse conceito e mostra como utilizar as ferramentas de Big Data para analisar tendências de mercado e prever comportamentos de consumidores.

Veja mais um exemplo da importância da área de TI, que vai muito além da assistência técnica.

Continue lendo!

Banner terceirzação

O que é Big Data?

Big Data é um termo que se refere ao grande volume de dados produzidos pelas empresas diariamente na rede de computadores.

Mas o que interessa mesmo, no fim das contas, é para que servem esses dados. 

O Big Data pode ser utilizado para obter resultados da produção, identificar tendências de mercado e proporcionar decisões mais assertivas sobre o que o público espera.

Ou seja, é todo um processo de análise e interpretação de dados.

Tudo o que está disponível e acessível para qualquer pessoa de forma on-line está ao alcance do Big Data e pode ser agrupado conforme o interesse, independentemente da quantidade de informações em questão.

O Big Data pode reunir qualquer dado coletado sobre um assunto ou uma empresa, como os registros de compra e venda e mesmo os canais de atendimento digital.

Para fazer a análise desses dados em grande quantidade, você deve estar se questionando o quão complexo é esse trabalho, certo? Porém a Tecnologia da Informação é a grande responsável por permitir que isso seja feito com grande rapidez.

Big Data e seus cinco Vs

Vamos entender melhor o que é Big Data através de uma explicação mais profunda sobre esse conceito.

O termo Big Data é relativamente atual, mas a ideia que ele representa já é bem antiga, no sentido de coletar e armazenar grandes quantidades de informações para análises eventuais.

Hoje, essa definição é classificada através de uma divisão de cinco Vs: Volume, velocidade, variedade, veracidade e valor.

Entenda melhor sobre cada um deles a seguir.

Volume

Sabemos que as organizações coletam dados de fontes variadas, que incluem, por exemplo, transações financeiras, mídias sociais e informações de sensores ou dados transmitidos de máquina para máquina.

Antigamente, sem as ferramentas disponíveis hoje, essa coleta seria muito complicada.

Velocidade

Os dados dos quais estamos tratando são transmitidos em uma velocidade incrível e devem, da mesma forma, ser tratados na mesma rapidez. 

Isso significa que os medidores e coletores de dados devem trabalhar de forma ágil, quase que em tempo real, a fim de obter os melhores resultados.

Variedade

Essa característica compreende a ideia de que o Big Data é formado por dados de diversos formatos que seguem duas divisões:

  • Estruturados: numéricos, em banco de dados tradicionais.
  • Não estruturados: documentos de texto, e-mail, vídeo, áudio, cotações da bolsa e transações financeiras.

Veracidade

É a dimensão relacionada à dinâmica humana. Ou seja, são os dados que podem ser coletados através da interação entre usuários nas redes sociais ou mesmo dos rastros de navegação. 

Esses dados representam veracidade porque são baseados em interações realistas.

Valor

Essa é uma das características mais importantes no Big Data, pois diz respeito ao valor que os dados agregam para a empresa.

De nada adianta ter todo esse banco de dados para análise se não apresentar utilidade alguma. 

Assim, mais do que deter esses dados, é essencial saber compreendê-los para que seja feita uma análise em cima deles.

Essa capacidade é fundamental para criar oportunidades mais eficientes.

Como utilizar o Big Data na sua empresa

Depois dessa contextualização sobre o que é Big Data, podemos dizer que ele atua como um auxílio para as empresas analisarem seus dados e, a partir dessas análises, criarem novas oportunidades de negócio.

O uso que cada gestão fará desses dados e de que forma aplicará uma análise é diferente em cada caso, pois depende da área de negócio e das metas e objetivos da organização.

Mas os benefícios de investir nesse trabalho do setor de TI, sem dúvida, são visíveis e essa pode ser uma estratégia aplicada e bem aproveitada em diferentes áreas, sobre as quais falaremos a seguir.

  • Marketing: através de uma análise do perfil do consumidor, com dados que abrangem o seu comportamento, estilo de vida e preferências, é possível criar novos produtos que se encaixem nesse perfil e ainda elaborar uma comunicação mais direcionada para esse público.
  • Financeiro: neste setor, o Big Data atua prevenindo fraudes e realizando previsões de flutuações econômicas e mercadológicas, dando mais segurança ao investimento.
  • Relacionamento e Vendas: neste setor, ele ajuda oferecendo produtos mais relevantes, com a fidelização dos clientes e diminuição das taxas de cancelamento de clientes.
  • Controle de Qualidade: neste setor, o Big Data pode ajudar em diversas situações, como defeitos por unidade, rendimentos de primeira passagem, taxas de preenchimento, entre outras. Pode também abranger os fornecedores, a capacitação dos colaboradores e as condições ambientais no momento da produção.

Pensando nesses setores, a estratégia é cruzar dados e interpretá-los a partir do que é chamado de Big Data Analytics

As ferramentas de Big Data permitem extrair, organizar e tratar os dados para, então, transformá-los em informações realmente úteis para o negócio.

Essa organização de uso de dados pode ser de três tipos:

  • Social data: são aqueles dados derivados das pessoas que ajudam a identificar comportamentos para atuar de forma direcionada, como pesquisas no Google e comentários nas redes sociais;
  • Enterprise data: dados gerados por organizações, como acontece nos setores de RH, financeiro, produção, entre outros, e que contribuem para mensurar a produtividade e identificar falhas;
  • Personal data: vêm de dispositivos conectados à internet, como TVs, carros e geladeiras. 

Ao fim do processo, será possível, entre outras coisas:

  • identificar falhas, defeitos e problemas praticamente em tempo real;
  • criar promoções a partir da identificação dos hábitos de compra do cliente;
  • encontrar problemas antes que causem danos ao negócio.

Vejamos então algumas das principais ferramentas do Big Data:

Tableau

Essa é uma ferramenta que permite a visualização dos dados em colunas, de forma a otimizá-los para uma análise mais assertiva.

Também muito dinâmica no que diz respeito a mudar o formato de visualização, o Tableau acaba sendo sempre uma opção ágil e bastante interativa.

Watson Analytics

Esse é um serviço de análise baseado em nuvem. Ele ajuda você a encontrar rapidamente resoluções sobre seus dados.

Isto é, quando você faz upload de seus dados nele, por exemplo, a plataforma mostra as perguntas que podem ajudar você a seguir. 

Em seguida, ela fornece visualizações de dados de forma rápida e instantânea, tudo com base nas respostas de que você precisa.

Apache Hadoop

Como dissemos, Big Data diz respeito a um grande volume de dados, com o qual nem sempre é fácil lidar. 

O Apache Hadoop é uma ferramenta de software capaz de diminuir o tamanho de arquivos para não ocuparem tanto espaço de armazenamento.

Oracle Data Mining

Um grande número de dados nem sempre é sinônimo de relevância. Pelo contrário, sempre haverá algo que pode e deve ser descartado. E essa é a utilidade desta ferramenta. 

O Oracle Data Mining consegue fazer essa seleção entre o que é realmente relevante e o que não é. Seu algoritmo permite uma valiosa fonte de dados para alavancar investimentos do seu negócio.

Gostou de saber mais sobre o que é Big Data? Confira também um pouco mais sobre o uso de dados nas empresas e como protegê-los para evitar perdas.

Banner terceirzação

Compartilhe no:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *