Internet das Coisas: entenda como ela tem revolucionado o mercado

Internet das Coisas: entenda como ela tem revolucionado o mercado

Internet das coisas

A Internet das Coisas é um conceito que tem ganhado espaço, pois seu impacto na sociedade representa uma mudança significativa na forma como lidamos com a tecnologia que temos disponível.

Se você ainda não ouviu falar disso, saiba que a tendência é que esse termo tecnológico esteja cada vez mais presente no mercado de trabalho, por ser uma importante forma de estruturar estratégias que busquem melhorar o desempenho de companhias.

No texto de hoje, vamos explicar mais detalhadamente o que de fato quer dizer Internet das Coisas e como esse conceito tem revolucionado o mercado.

O que é Internet das Coisas?

Internet das Coisas, ou Internet of Things (IoT), é um conceito tecnológico que basicamente se firma na ideia de uma fusão entre realidade e digital, fazendo com que os indivíduos possam estar em constante comunicação e interação, seja com outras pessoas ou objetos.

A expressão foi usada pela primeira vez pelo cientista Kevin Ashton, em 1999, referindo-se a tecnologias que pudessem conectar aparelhos para facilitar e organizar a vida das pessoas.

A ideia era de que todos os objetos da vida cotidiana estariam conectados à internet, agindo de forma inteligente.

Dessa maneira, eletrodomésticos, automóveis, chaves, entre outras coisas, poderiam ser melhorados e adaptados para auxiliar na rotina das pessoas.

A tese de Ashton é de que a rotina corrida e a falta de tempo farão com que as pessoas se conectem à internet de forma que ela possa auxiliar na realização de tarefas que as pessoas gastariam tempo para realizar. 

De acordo com o que pensa e defende Ashton, através dessa conexão, será possível acumular dados sobre nossos próprios corpos com uma precisão e segurança muito maiores do que temos hoje, por meio de um monitoramento constante.

Através desses dados, será possível reduzir, otimizar e economizar recursos naturais e energéticos, por exemplo. 

Para o pesquisador, essa revolução será maior do que o próprio desenvolvimento do mundo on-line que conhecemos hoje, alcançando uma importância em escala ainda maior.

Impacto da Internet das Coisas no mundo

A Internet das Coisas faz parte de um plano ainda mais amplo que envolve as cidades inteligentes, projetos urbanos que levam em conta sustentabilidade, eficiência e qualidade de vida. 

Essas “cidades do futuro”, mas que, na verdade, nem estão assim tão longe de se tornarem realidade, serão compostas por elementos como carros autônomos, semáforos inteligentes que se adaptam ao tráfego, sistemas com reaproveitamento de água e reciclagem inteligente de lixo, entre outras inovações.

Teremos uma máxima variedade de dispositivos conectados, de carros a drones, de servidores remotos a edifícios inteiros, e também dentro das casas. 

Sensores poderão identificar problemas internos, como vazamentos, luzes poderão se acender e apagar sozinhas, aspiradores de pó poderão detectar poeira e farão a limpeza dos cômodos, tudo de forma autônoma!

Para que isso seja possível, de fato a conexão precisa ser muito boa. E é então que começamos a falar do 5G

O 5G, que já é realidade nos EUA e Coreia do Sul,  promete velocidades de download de até 100 Mb/s, um verdadeiro marco que vai permitir que tenhamos a melhor conexão em nossas mãos o tempo todo. 

Mais do que a avidez por uma conexão cada vez melhor e mais aprimorada, essa evolução é resultado da necessidade que a Internet das Coisas traz.

Afinal, muitas pessoas conectadas é uma premissa que exige um sistema de conexão mais forte e potente para dar conta de tantos usuários acessando ao mesmo tempo.

Vejamos a seguir, de forma mais detalhada, alguns dos setores e serviços nos quais a Internet das Coisas mais provocará mudanças.

Banco de dados

Os bancos de dados são uma parte importante de qualquer empresa, e com dispositivos IoT conectando os consumidores e promovendo maior interação, as organizações terão maior acesso a dados do que hoje em dia.

Os dispositivos inteligentes serão capazes, por exemplo, de gravar padrões de consumo e, possivelmente, aprender com eles para fazer recomendações de produtos e fazer novas pesquisas com abordagens diferentes e mais eficientes.

Isso consequentemente permitirá que as empresas tirem vantagem ao fazer um marketing mais direcionado, atingindo os alvos de forma mais eficaz.

Aumento do trabalho remoto

Se hoje o home office ainda é uma modalidade pouco explorada, a Internet das Coisas pode abrir milhares de portas para esse setor. 

Com a possibilidade de ter vários dispositivos conectados em uma mesma rede através de acesso remoto, os trabalhadores estarão mais interligados entre si e poderão realizar um trabalho a distância com a mesma eficiência e rapidez que presencialmente.

Novas formas de consumo

Com tantas possibilidades eletrônicas surgindo no mercado, os consumidores naturalmente vão descobrir novas necessidades, vão querer adquirir novos equipamentos e isso irá movimentar o mercado consumidor.

Os consumidores vão buscar ainda mais integração, ferramentas eficientes e acessórios até mesmo nos itens da mobília de seus lares.

Mais produtividade

Produtividade é sobre fazer mais em menos tempo. 

Nesse sentido, além de contribuir com a satisfação instantânea, as mudanças tecnológicas também propiciam mais eficiência e produtividade.

Com a Internet das Coisas, os funcionários serão capazes de produzir ainda mais e com maior precisão em menos tempo, no que diz respeito, por exemplo, à análise e ao  gerenciamento de dados.

Gerenciamento de estoque

Monitorar os estoques também será uma tarefa muito mais fácil graças à evolução da Internet das Coisas.

No caso de quem lida com manufaturas e depósitos por exemplo, os dispositivos inteligentes do futuro estarão aptos a tabelar o estoque de forma automática. 

Isso vai economizar muito tempo e trabalho dos funcionários.

Novos funcionários

Os funcionários devidamente capacitados para atuar no setor de TI serão muito requisitados. Será preciso ter uma equipe extremamente competente e sempre à disposição, tanto para lidar com questões técnicas quanto de segurança da informação.

Afinal, a maior parte da produção será automatizada por máquinas e dispositivos, e será preciso ter gente capaz de entender e lidar com tudo isso.

A cultura do trabalho dentro das empresas

É fato que a cultura dentro das empresas hoje já não é a mesma de décadas atrás. 

O Big Data, por exemplo, já vem mudando a percepção que os gestores têm em relação ao volume de informações disponíveis em seus escritórios, e tem permitido usar tudo isso para identificar oportunidades, prever cenários, otimizar processos e tomar decisões.

E essa mudança cultural interna das empresas tende a progredir ainda mais de acordo com o avanço e a evolução da Internet das Coisas. 

Afinal, as novas tecnologias precisam ser acompanhadas de profissionais que saibam lidar com elas, tanto na prática quanto na teoria e organização.

Isso significa que um bom líder deve orientar sua equipe de forma a tentar novas maneiras de trabalho, mesmo que isso signifique abandonar ideias já estabelecidas dentro do ambiente corporativo.

Esse tipo de visão é o que vai diferenciar empresas com boas perspectivas daquelas fadadas a cair no esquecimento.

Gostou de saber mais sobre a Internet das Coisas? Ficou interessado por esse conceito e as propostas de evolução tecnológica que o futuro nos promete? Confira mais sobre o tema inovação no nosso texto sobre inteligência artificial.

Compartilhe no:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *