COBIT: entenda como essa metodologia otimiza a gestão de TI

COBIT: entenda como essa metodologia otimiza a gestão de TI

Cobit

A gestão da informação é uma das funções mais importantes para qualquer empresa porque é o que garante que as decisões corretas sejam tomadas. Considerando isso, não podemos deixar de falar sobre governança de TI e, consequentemente, o COBIT.

A governança de TI é fundamental para diminuir os riscos e conseguir resultados mais favoráveis e alinhados aos objetivos da empresa. E, para garantir essa governança, o COBIT é o principal conjunto de ferramentas.

Quando falamos em ferramentas, devemos ter em mente que todo o setor de TI deixou de ser considerado apenas de suporte e adquiriu uma importância muito maior dentro das empresas ao atuar como fonte de estratégias para gerar melhores resultados.

Esse aumento da atuação e importância do papel de TI na geração de valor das empresas nos faz pensar em toda a tomada de decisão que envolve os gestores dessa área. Ou seja, esse papel estratégico faz com que TI seja parte da tomada de decisões nas corporações. 

No texto de hoje, você entenderá melhor o que significam os conceitos de governança de TI e COBIT, quais as vantagens de aplicá-los e, claro, qual a melhor forma de fazer isso.

Ficou curioso? Continue lendo e descubra tudo sobre COBIT.

A governança de TI

Antes de partimos para uma explicação mais aprofundada sobre COBIT, é importante ressaltar que tecnologias relacionadas a ele estão se tornando mais do que importantes no regimento e na gestão de qualquer empresa.

Como dissemos anteriormente, isso coloca a área de TI e toda sua gestão em uma posição central de onde partem operações e estratégias.

Esse papel de destaque naturalmente fez com que houvesse uma valorização da governança de TI, ou seja, melhor gerenciamento desse setor e cumprimento de suas metas empresariais.

A governança de TI passa a ser parte integral de toda a governança corporativa. 

Ela diz respeito à implementação de processos, estruturas e mecanismos relacionais dentro da empresa. Com isso, torna possível que o pessoal de negócio e da área de TI executem suas responsabilidades, apoiando a sustentabilidade do valor do negócio.

Resumindo, a governança de TI dita normas, políticas e diretrizes pensadas com foco em melhorar o desempenho do negócio. Dessa forma, podemos dizer que a governança estabelece uma direção e fiscaliza se ela está sendo cumprida.

O COBIT, nesse contexto, é uma estrutura que permite que essa ideia funcione, como veremos adiante.

O que é COBIT?

COBIT é uma sigla que significa Control Objectives for Information and Related Technology ou, em português, Objetivo de Controle para Tecnologia da Informação e Áreas Relacionadas.

O COBIT é uma das metodologias mais utilizadas quando o assunto é governança de TI.

Ele foi criado pela Information Systems Audit and Control Association (ISACA), uma associação internacional que patrocina metodologias e certificações para a área de Sistemas de Informação.

O COBIT é um manual com reconhecimento internacional e formado pela união de recomendações e boas práticas de governança de TI, estando atualmente em sua quinta versão.

O grande diferencial entre o COBIT 5 e as suas versões anteriores é que a quinta versão do COBIT permite uma integração completa com outras metodologias, como ISO e ITIL.

Além disso, o COBIT 5 trata a área de TI como ponto estratégico para a organização, diferentemente das versões anteriores em que TI ainda era tratada de forma separada.

O COBIT é uma metodologia que tem como responsabilidade identificar a efetividade dos processos de TI, fazendo uma gestão de processos e gerenciando os riscos.

Componentes do COBIT

Todos os negócios e empresas que dependem do setor de TI para obter informações confiáveis e sólidas utilizam atualmente o modelo COBIT. 

Tendo 34 processos e 210 pontos de controle, o COBIT representa, sem dúvida, uma forma eficaz e detalhada para um bom gerenciamento que busque unir os processos com foco no negócio e o setor de TI.

A estrutura de atuação do COBIT é baseada em quatro objetivos principais, que são: 

  • Planejar e organizar;
  • Adquirir e implementar;
  • Entregar e suportar;
  • Monitorar e avaliar.

Esses objetivos do COBIT são fundamentados em princípios predeterminados. São eles:

  • Levar satisfação aos interessados do processo. A empresa é a maior interessada no sucesso desse projeto, portanto, deve-se identificar as expectativas e os objetivos do negócio com a implementação dessa metodologia;
  • O projeto deve cobrir toda a organização, solucionando as necessidades da empresa em todo seu conjunto, sem deixar brechas;
  • Aplicar um framework integrado e único em que a estrutura de trabalho deve integrar todos os setores, facilitando o trabalho para os profissionais de TI;
  • Possibilitar uma visão holística, ou seja, permitir que a empresa seja vista como uma união, em que todas as partes estão integradas e trabalham conjuntamente;
  • Entender que governança de TI e gerenciamento de TI são dois conceitos diferentes e, consequentemente, com objetivos também diferentes.

Dentro desses objetivos, no COBIT são empregados elementos que coordenam as ações, dos quais podemos citar:

  • Metodologia: é o que auxilia na organização dos objetivos da governança de TI trazendo as melhores práticas nos processos e domínios de TI, simultaneamente unindo-as aos requisitos do negócio;
  • Descrição de processo: é um modelo de referência e também atua como uma linguagem simplificada para todos os colaboradores da organização. Essas descrições são importantes e incluem elementos de planejamento, construção, execução e monitoramento de todos os processos de TI;
  • Objetivos: fornecem uma lista completa de requisitos considerados pela gerência como fundamentais para controle efetivo de TI;
  • Modelos de maturidade: faz referência à maturidade e à capacidade de cada processo enquanto aborda as pequenas arestas entre eles;
  • Diretrizes: essencial nas questões de atribuição de responsabilidades melhores, medição de desempenhos, concordância com objetivos comuns e, ainda, melhor demonstração do relacionamento com todos os outros processos.

A certificação COBIT

A COBIT 5 Foundation é uma certificação que certamente abre um leque muito positivo de oportunidades, tanto para empresas quanto para profissionais de TI.

Para as empresas, por exemplo, ter essa certificação COBIT demonstra maior credibilidade no que se refere a uma empresa que tenha cuidados com suas informações e as mantenha organizadas.

Nesse sentido, a certificação COBIT é útil para empresas de porte pequeno, médio e grande, de setores comercial, sem fins lucrativos ou público.

Já para profissionais de TI, a certificação COBIT 5 Foundation fará toda a diferença em casos de seleção para oportunidades de emprego.

No caso de gestores, proporcionará um senso de avaliação mais apurado, permitindo um olhar de liderança mais imponente, principalmente em um mundo tão competitivo.

O COBIT é bastante difundido por corporações de todas as partes do mundo. Na América do Norte, América do Sul, Austrália e Europa, essa metodologia é bastante aprovada e usada em várias empresas multinacionais, departamentos governamentais e instituições financeiras para auditorias e avaliações.

A prova do COBIT 5 Foundation costuma ter um valor elevado, mas, sem dúvida, é um grande investimento. 

Com duração de 40 minutos, ela aborda 50 questões de múltipla escolha, sendo aplicada pela APMG

Se você é um profissional de TI que busca aprimorar seu currículo e trabalhar em grandes empresas, em que a metodologia COBIT é aplicada, o investimento com certeza vale a pena. 

Há também cursos preparatórios que podem ajudar nos estudos para o exame.

Vantagens da aplicação do COBIT nas empresas

Vimos até aqui que o COBIT faz parte de um projeto de governança de TI. Mais do que isso, o COBIT representa um investimento que pode trazer diversas outras vantagens adicionais para as empresas, também com esse foco na produtividade e união do negócio. 

Vejamos, a seguir, quais vantagens são essas que o COBIT oferece.

Otimização de investimentos

O COBIT tem uma capacidade de expandir a visão dos gestores sobre a importância da Tecnologia da Informação dentro de uma empresa.

Esses profissionais acabam tendo mais autonomia para analisar o setor de TI com mais precisão e assim acabam revelando resultados melhores ao serem capazes de identificar todas as possibilidades de melhorias e investimentos, além das lacunas e deficiências a serem corrigidas.

Isso evita falhas estruturais e ainda permite que o dinheiro seja gasto com o que é realmente necessário.

Criação de uma linguagem simples

A comunicação, sem dúvida, tem muito a ganhar com a implantação do COBIT.

Dentro de grandes empresas, um dos principais desafios é conseguir criar uma comunicação compreensível entre setores, gerando uma aproximação.

Com o COBIT, uma vez que é estabelecida uma linguagem comum e mais simples de trabalho, isso melhora muito o diálogo entre executivos, profissionais de TI e gerentes. 

Dessa maneira, reuniões, audições e avaliação de resultados passam a ser realizadas com mais eficiência e com mais integração.

Reforço da Segurança da Informação

Já citamos que com o COBIT a Segurança da Informação também é aprimorada a partir do aumento dos métodos de controle e da difusão de boas práticas. 

Isso evita que a empresa fique exposta ao risco de vazamento e roubo de dados e de informações sigilosas, muito comum em organizações que não se atentam a esse tipo de controle, mesmo as de pequeno porte.

Mais eficiência em TI

O COBIT trabalha de maneira sistemática na organização das necessidades de uma empresa, permitindo que todas as modificações necessárias para a otimização dos processos e resultados sejam constantemente aplicadas e monitoradas. 

Colocando em outras palavras, todas as práticas e os investimentos que não trazem bons resultados para a empresa são muito mais facilmente identificados, corrigidos, adaptados ou mesmo eliminados, se for a melhor opção.

Como aplicar o COBIT em uma empresa?

Ficou interessado na metodologia proposta pelo COBIT? Quer aplicar na sua empresa?

O próprio COBIT fornece instruções para a implementação desse framework na forma de um ciclo de vida da implementação. 

Todo esse ciclo fica mais claro quando representado em uma forma gráfica que descreve os seus três principais componentes: elementos de gestão do programa, capacitação da mudança e melhoria contínua. 

Cada um desses três componentes é detalhado na forma de um total de sete etapas, que formam um didático passo a passo para implementação da ferramenta.

A seguir, vamos ver, de forma resumida e simplificada, esses sete passos que sua empresa deve seguir para se adaptar ao modelo que o manual COBIT sugere.

Mas antes de qualquer coisa, é importante dizer que, para aplicar o COBIT em uma empresa, é preciso um investimento em treinamentos e certificações.

Isso porque logicamente a empresa precisará designar profissionais que estarão envolvidos com a utilização do COBIT na prática, de forma constante. 

Isso serve não apenas para os profissionais de TI, como também para gestores de outras áreas que se integram a ela.

Vamos aos sete passos:

1) Planejamento estratégico

O plano estratégico é o primeiro passo para aplicar o COBIT. 

Nessa fase, é preciso definir objetivos e metas que irão nortear o processo que buscará melhorar a governança de TI dentro da empresa.

2) Diagnóstico

Na segunda fase do COBIT, será necessário realizar um diagnóstico profundo da empresa, analisando fraquezas, pontos fortes, melhorias que podem ser feitas, crescimento durante determinado período e tudo mais que defina detalhadamente qual a situação atual do negócio.

3) Roteiro

Na terceira etapa da implementação do COBIT, tendo as metas em mãos, é hora de traçar um roteiro de como elas serão conquistadas, definindo inclusive prazos para que isso aconteça de fato.

4) Atribuição de tarefas

Para implementar o COBIT, será necessário delegar tarefas e responsabilidades. 

No quarto passo desse processo, é essencial que cada uma dessas obrigações seja direcionada para seus respectivos encarregados e que fique claro qual o papel de cada um e sua importância no sucesso do processo.

5) Execução

Hora de colocar em prática tudo o que foi pensado durante o planejamento da aplicação do COBIT. 

É preciso que nessa etapa todos os envolvidos estejam plenamente cientes de seus deveres na empresa e no processo.

6) Monitoramento

A fase de monitoramento do COBIT visa averiguar se tudo está sendo executado como o planejado. 

Essa observação deve ser atenta e verificar até os mínimos detalhes, já que, se algo passar despercebido, o resultado poderá ser comprometido.

Os resultados devem ser mensurados e, caso seja necessário, as alterações devem ser planejadas e aplicadas.

7) Acompanhamento contínuo

Um projeto de COBIT, por mais que tenha sua aplicação tranquila e eficaz, está sujeito a imprevistos assim como qualquer metodologia. Isso porque as empresas mudam com o tempo e isso é natural.

Dessa forma, é importante que o acompanhamento seja contínuo, assim como a implementação de melhorias, que serão mais facilmente identificadas uma vez que a empresa estará integrada e se comunicando fluidamente graças ao COBIT. 

 

Este foi nosso artigo explicativo sobre o COBIT e tudo o que você precisa saber sobre essa metodologia. Quer saber mais sobre como aprimorar a Tecnologia da Informação no seu negócio?

Confira nosso material sobre esse tema.

Compartilhe no:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *