Reduza os custos de TI da sua empresa ou ganhe dinheiro fazendo chamados de TI

Blog

Tudo que você precisa saber sobre tecnologia em um só lugar.

Cloud computing: descubra o que é e se sua empresa precisa dele

O cloud computing é uma das soluções mais adotadas pelas empresas nos dias atuais para melhorarem suas performances através da transformação digital.

O cloud computing, também conhecido como computação na nuvem, é um termo já bastante conhecido no meio da tecnologia. Não é de hoje que a “nuvem” se tornou uma parceira, muito famosa pelos resultados e benefícios que proporciona para quem já se rendeu à ajuda dela.

Como essa é uma tendência global que não pode ser ignorada pelo mercado, trouxemos este texto para esclarecer as informações que você precisa para entender tudo sobre cloud computing.

Se você quer se aprofundar nesse assunto em detalhes, continue lendo!

O que é cloud computing?

O que é essa “nuvem”, afinal?

Falando um pouco mais tecnicamente sobre o conceito de cloud computing, podemos defini-la como um tipo de tecnologia que faz uso da conectividade da internet e seu amplo alcance para armazenar diferentes recursos, programas e dados.

É esta ferramenta que permite o acesso remoto a esses arquivos, ou seja, de qualquer computador ou dispositivo móvel é possível acessá-los, sem necessariamente um servidor pessoal.

Hoje em dia, são diversos os serviços que compartilham essa ideia, como Google Docs, Drive, Spotify, Netflix, entre outros.

Qualquer serviço que permite que você e outras pessoas acessem o mesmo arquivo de diferentes partes do mundo através da internet, usa essa tecnologia.

Apenas por esses breves exemplos você já deve ter entendido o quão revolucionária a tecnologia cloud computing é, certo? 

Afinal, antes destes serviços que mencionamos existirem, as coisas eram bem diferentes. Na maior parte do tempo não temos plena consciência disso, é claro, pois já estamos completamente adaptados às facilidades que ela traz.

Mas a cloud computing não está presente apenas nas facilidades cotidianas. Ela é inovadora e essencial também dentro das empresas.

Isso é o que vamos explicar melhor ao longo deste texto.

Funcionamento do cloud computing

O cloud computing basicamente funciona usando um servidor remoto para conectar dispositivos dos usuários a uma central de recursos. 

Esse servidor remoto em questão é responsável por armazenar todos os dados, informações e programas de que você precisa e pode estar perto de você ou mesmo a grandes distâncias, como em outro país ou continente.

O que importa realmente é que você pode ter acesso a eles uma vez que esteja online.

Para explicar em mais detalhes o funcionamento dessa tecnologia, é importante que você entenda que existem três tipos de cloud computing e também uma diversidade de serviços oferecidos por essa funcionalidade. 

Tipos de cloud computing

Como dissemos, existem três tipos de computação em nuvem. São eles classificados como: público, privado e híbrido

O importante na variação destes tipos é que, para o empresário que pretende usar este serviço, é essencial compreender que a escolha depende de vários fatores como custo, disponibilidade, desempenho, entre outros.

Mas para que você já saiba mais sobre eles, vamos explicar como cada um funciona:

Público

A public cloud se dá por recursos computacionais que são fornecidos por terceiros que atendem a diversos clientes, ou seja, estão disponíveis para qualquer pessoa que queira contratá-los.

Ao adotar esse modelo, o cliente deve saber que é responsável pelos dados que forem enviados para a nuvem, pois o provedor em si cuidará apenas de garantir a manutenção, segurança e gerenciamento de recursos.

Esse é um modelo comumente utilizado pelas empresas em aplicações de nível secundário para o negócio, como e-mail, vídeos e conteúdo de marketing.

Esse modelo também se caracteriza por ser mais barato, já que oferece soluções mais unificadas, então é uma boa opção para empresas que precisam economizar.

Privado

Nessa outra opção de modelo de cloud computing, a empresa mantém toda a infraestrutura da nuvem em seu próprio domínio, ou seja, internamente. A partir disso, ela pode oferecer acesso restrito apenas a usuários selecionados, como colaboradores e parceiros.

O private cloud oferece à empresa uma funcional autonomia para personalizar as funções e suporte de acordo com suas necessidades. 

Considerando que nesse sistema de cloud computing tudo é projetado exclusivamente para a empresa, tudo é direcionado de forma específica e personalizada. 

Ainda que tenha maiores custos, em geral a nuvem privada é a que tem preferência quando o contexto é de armazenar dados mais estratégicos e que precisem de tempo de resposta rápido.

Isso porque como os servidores estão dentro da empresa, eles garantem uma baixa proporção de erros de rede e maior segurança, já que ninguém fora da empresa terá acesso àqueles dados.

Por esse motivo é bastante comum em instituições de cunho governamental e financeiro, por exemplo.

Híbrido

O modelo híbrido de cloud computing nada mais é do que a união dos dois anteriores, que permite o compartilhamento de dados e aplicativos tanto de forma pública quanto privada, e dispondo de um software que permite essa transferência de cargas de trabalho entre ambas.

Dessa forma, a empresa pode utilizar seus recursos de acordo com a necessidade e estratégia do momento.

Esse é considerado como o modelo ideal, pois nele a empresa tem uma quantidade de recursos computacionais locais para dar conta de tarefas rotineiras, mas quando precisar colocar em prática as tarefas mais complexas também terá um bom modelo de nuvem à disposição, podendo alocar recursos complementares de um fornecedor externo.

O desafio dessa opção, entretanto, estão em seus custos com segurança que precisam ser bem direcionados, já que os dados armazenados na nuvem privada costumam ser extremamente confidenciais e não se pode descuidar deles nem por um segundo.

Serviços da cloud computing

O cloud computing oferece uma variedade de serviços e funcionalidades voltados para atender às demandas das empresas.

A seguir vamos contextualizar melhor três delas, que são destaque entre as principais.

Software as a Service (SaaS)

O SaaS, ou software como serviço, nada mais é do que um tipo de aplicação criada para uma finalidade específica, em que atuará como serviço.

Ele pode ser utilizado de forma gratuita na nuvem, como também exigir um pagamento mensal para que o serviço fique disponível, diferentemente de licenças de uso por exemplo, em que é preciso apenas um pagamento para realizar a aquisição.

Essa modalidade é bem vista e aprovada tanto pelos fornecedores, quanto pelos clientes. Os fornecedores conseguem manter uma renda fixa mensal independente de novas vendas, e os clientes porque pagam pelo uso, valor que pode ser dividido entre múltiplos clientes que também vão se beneficiar com a disponibilidade daquele software. 

É neste modelo que se encaixam o Google Docs, Drive, Dropbox ou softwares de ERP, que podem ser pagos.

Plataform as a Service (PaaS)

PaaS, ou plataforma como serviço, é quando o fornecedor entrega uma plataforma de desenvolvimento de software, podendo ser aplicada em diferentes ambientes, ou mesmo em um único fornecedor. 

Ou seja, funciona sob demanda, sendo possível possível criar, aprimorar e otimizar softwares e aplicativos de acordo com a necessidade. 

O modelo Paas é vantajoso por incluir uma boa infraestrutura e recursos que permitem aperfeiçoar as aplicações, como sistemas operacionais, ferramentas de desenvolvimento e sistemas de gerenciamento de bancos de dados, por exemplo.

Assim, a equipe responsável pelo desenvolvimento pode se dedicar exclusivamente ao desenvolvimento, pois a parte de manutenção e administração ficam com o próprio fornecedor do software.

HWS, AppFog e Amazon Elastic são alguns exemplos de PaaS.

Infrastructure as a service (IaaS)

No IaaS, ou infraestrutura como serviço, os recursos de uma infraestrutura, como servidores, datacenters, hardware, entre outros, são alugados. Todos os recursos ligados a transmissão de dados e seu armazenamento que podem ser utilizados a partir de uma taxa mensal.

O modelo considerado mais simples se dá no aluguel de um servidor físico em um datacenter, considerando que neste caso o cliente não precisa se preocupar com critérios como garantia e disponibilidade do servidor, e outros fatores como a disponibilidade de energia elétrica.

A empresa pode ser cobrada de diferentes maneiras pelo uso desses recursos.

De acordo com o provedor e do modelo escolhido, por exemplo, a empresa pode ser cobrada, pelo número de servidores utilizados ​​e pela capacidade de dados armazenados ou trafegados.

O importante é que apenas o que é utilizado é pago.

Isso é uma grande vantagem para as empresas que adquirem esse modelo, já que de acordo com a demanda é possível solicitar apenas servidores virtuais, em que serão armazenados poucos dados e consequentemente terá pouco tráfego. 

Da mesma forma, se no mês seguinte for necessário, a empresa pode solicitar o dobro de recursos e tudo estará em conformidade.

Ou seja, você pode cancelar, diminuir, aumentar a qualquer momento, como for melhor para seu negócio.

Microsoft Azure e Amazon AWS são alguns exemplos de IaaS.

Como saber se minha empresa precisa de cloud computing?

Como vimos, existem diferentes modelos de cloud computing. De fato, eles tornam a rotina da empresa mais dinâmica e facilitam o trabalho

Mas como saber se sua empresa realmente precisa desse investimento? 

Separamos aqui alguns objetivos que podem ser resolvidos com o uso de cloud computing, assim você pode avaliar se sua empresa se identifica com esses cenários.

Reduzir custos

Seu negócio está precisando reduzir custos? Saiba que a solução cloud computing pode ajudar neste aspecto. 

A principal vantagem nesse caso é que as ferramentas gratuitas que estão disponíveis permitem poupar recursos geralmente gastos com servidores, energia, manutenção e atualizações. 

Aumentar a segurança

A sua empresa investe em segurança de dados? Sente que esse ainda é um ponto que precisa de melhorias?

Bem, com cloud computing você já estará se prevenindo, por exemplo, da perda de dados, um dos acontecimentos que mais gera prejuízos nas empresas, de altos valores.

Até mesmo em situações de ataques virtuais a invasão tem impactos muito menores com o armazenamento em nuvem.

Flexibilizar o trabalho

A flexibilização do trabalho é uma maneira de conseguir o melhor resultado através de uma integração maior entre as atividades de cada colaborador da empresa.

E essa colaboração dentro do ambiente de trabalho é muito mais fácil com a nuvem.

Isso porque ela permite salvar e compartilhar diversos arquivos, fazendo com que os colaboradores trabalhem ao mesmo tempo, no mesmo arquivo. Tudo com mais agilidade.

Além disso, a tecnologia cloud computing torna possível que esse acesso seja realizado de qualquer lugar, de qualquer dispositivo. Assim, seus colaboradores podem resolver algum problema enquanto estão em uma viagem de trabalho, bastando apenas um celular, tablet ou desktop.

Para os gestores, há ainda a vantagem de analisar o progresso dos colaboradores em cada projeto, como o caso do Google Docs, que permite a visualização de quem está editando um documento.

Depender menos da internet o tempo todo

Se sua empresa é totalmente dependente de conexão e por isso acaba tendo problemas quando acontece algum imprevisto, a nuvem também pode ser de ajuda.

Uma das vantagens de alguns serviços de cloud computing é a opção de disponibilizar o arquivo de maneira offline

Ou seja, se você está editando um documento e acontece da empresa ficar sem conexão, com essa opção ativada você poderá continuar editando o arquivo. Quando a internet for restabelecida, o arquivo vai ser salvo também com as alterações.

Isso evita que o trabalho precise ser completamente interrompido em caso de algum problema técnico, causando o indesejável atraso das demandas.

Lidar melhor com a sazonalidade

A sazonalidade é um termo que se refere a fatores externos que de alguma forma influenciam no negócio.

É comum que as empresas acabem passando por períodos em que suas vendas estão em alta, assim como períodos em que tudo está muito em baixa.

Muitos gestores ficam inseguros de investir em certos recursos por conta dessas fases em que o consumo está mais baixo.

Nessa situação, apostar em cloud computing é uma ótima opção. Como vimos, essa tecnologia permite adaptar os recursos disponíveis a cada necessidade imediata do negócio, pagando apenas por aquilo que utiliza.

Assim, você evita de se precipitar comprando a licença de um software que não será mais utilizado no mês seguinte, por exemplo.

Essas foram nossas dicas para que você possa identificar se sua empresa está precisando investir em cloud computing. Quer saber como usar a nuvem para salvar seus arquivos mais importantes? Confira então nosso serviço de backup!